Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

OMC pede apoio de Lula para avançar negociação comercial

A Organização Mundial do Comércio (OMC) quer usar a popularidade internacional do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para tentar avançar as negociações da rodada do Desenvolvimento, lançada em Doha em 2001 e que hoje estão praticamente paralisadas. Hoje, o diretor da entidade, Supachai Panitchpakdi, em encontro com o ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, apelou para que o governo brasileiro tentasse convencer os líderes mundiais de que as negociações em Genebra devam estar concluídas em 2005."Supachai pediu ao Brasil, diante de sua posição de protagonista, que tratasse de motivar os países para que a negociação avance", disse o ministro.A previsão inicial dos governos era de que a rodada poderia estar concluída até o final do ano que vem, quando seria assinado um acordo para liberar o comércio agrícola, de bens industriais e de serviços. O acordo ainda incluiria uma revisão de regras comerciais e de leis de propriedade intelectual. Mais da metade desses temas, porém, está sem poder avançar diante da falta de entendimento entre os países.Furlan afirmou que irá conversar com Lula para que, na reunião do G-8 (grupo das oito economias mais importante do mundo) em junho, o presidente leve o tema da OMC à mesa de negociações. O encontro do G-8 ocorre em Evian, na França, e Paris faz questão da presença do presidente brasileiro no evento.

Agencia Estado,

07 de maio de 2003 | 17h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.