Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

OMC reduz projeção de crescimento do comércio mundial em 2011 para 5,8%

Previsão anterior da organização era de expansão de 6,5% do comércio

Álvaro Campos, da Agência Estado,

23 de setembro de 2011 | 11h05

A Organização Mundial do Comércio (OMC) reduziu sua previsão para o crescimento do comércio global em 2011 para 5,8%, de uma estimativa anterior de 6,5%, em meio às crescentes incertezas econômicas globais.

"Os membros da OMC precisam permanecer vigilantes. Esse não é um período para medidas individuais. É a hora de fortalecer e preservar o sistema de comércio global, para que ele continue desempenhando essa função vital no futuro", alertou em comunicado Pascal Lamy, diretor-geral da OMC.

A OMC prevê agora que o volume de comércio internacional nos países desenvolvidos cresça 3,7% este ano, ante a expectativa de uma expansão de 4,5% divulgada em abril. Nos países em desenvolvimento, o comércio internacional deve registrar avanço de 8,5%, menor do que a projeção anterior de 9,5%.

Os economistas da OMC afirmam que desde a última previsão, "os países desenvolvidos, em especial, têm sido atingidos por fortes ventos contrários, incluindo os duradouros efeitos do terremoto seguido de tsunami no Japão, o longo impasse sobre o orçamento dos EUA e o rebaixamento do rating do país, e a atual crise da dívida soberana na Europa".

Dados ruins sobre produção e o nível de emprego também prejudicaram a confiança do consumidor e contribuíram para a turbulência nos mercados financeiros, dizem os analistas da OMC. Eles citam a recente desaceleração no crescimento das exportações da Alemanha, que passou de um avanço anual de 36% em maio para uma expansão de 16% em julho. Na França, o crescimento nas exportações passou de 44% em maio para 9% em julho. Mas a forte expansão na China e outros mercados emergentes está ajudando atualmente a atenuar a desaceleração geral. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.