Onda especulativa vai perder o fôlego, prevê economista

Há um exagero especulativo no mercado financeiro mundial, que está afetando duramente a economia brasileira, de forma indevida, segundo avalia o economista Danny Rappaport, da Investport Gestão de Recursos. Para ele, uma das explicações pode ser a forte valorização obtida pelos títulos e ações do País nos últimos meses. Entrevistado no programa Conta Corrente, da Globo News, ele prevê, contudo, que o mercado voltará à normalidade nas próximas semanas.Rappaport chamou a atenção para um aspecto que não vem sendo considerado pelos analistas, relacionado à economia americana: a possibilidade da redução dos investimentos e dos gastos governamentais por parte do governo de Washington após as eleições de novembro próximo. Em sua opinião, porém, os juros americanos não devem subir a um nível que atrapalharia os fluxos de capitais para o Brasil. "Existe uma onda extremamente pessimista agora, mas que de qualquer maneira vai ser vista com cautela pelos investidores."O País mudouRappaport aconselha os investidores a deixar um pouco de lado os últimos dez anos, quando o Brasil se transformou em um forte captador de capital estrangeiro para cobrir o seu fluxo de pagamentos. "Hoje, a situação é muito diferente. Portanto, de certa maneira, o Brasil é um país que pode até ser privilegiado neste cenário internacional (de incertezas)."Taxa SelicO economista não descarta a possibilidade de que, em sua reunião desta semana, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) promova um novo corte na taxa básica de juros (a Selic). Ele lembra que a economia não está sofrendo um excesso de demanda por parte dos consumidores, o que previne um aumento da inflação. Para ele, o Banco Central pode adotar uma política anticíclica, para mostrar que o País se encontra hoje uma situação diferente do passado, quando a taxa de juros subia lá fora e aqui tinha de subir muito mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.