O´Neill espera crescimento dos EUA de até 4% em 2003

O secretário do Tesouro dos EUA, Paul O´Neill, mostrou-se otimista em relação à economia norte-americana e expressou impaciência com a "ênfase ao negativo" dada por Wall Street. O´Neill previu expansão de até 4% para a economia norte-americana em 2003. O Secretário disse que a economia não precisa de incentivo fiscal adicional, e que os diretores das maiores empresas do país estão muito pessimistas em relação ao futuro. "Parece haver ênfase ao negativo", disse O´Neill. "Não compreendo que vantagem as pessoas obtêm disso e não compreendo por que parece haver foco no negativo, em detrimento a fatores positivos vigentes", acrescentou. O´Neill disse que a economia deve expandir-se entre 2,75% e 4%, bem acima da margem de 1,5% a 3% divulgada semana passada pelo conselho das empresas norte-americanas.DólarO´Neill disse que o governo não pode e não deve tentar reduzir o valor do dólar, que tem se valorizado frente às moedas fortes apesar da vacilante recuperação econômica do país. Em entrevista à Dow Jones, O´Neill sugeriu que os argumentos a favor de um dólar mais fraco são motivados por interesses estreitos e não por interesses para o país como um todo.A Associação Nacional da Indústria (NAM, sigla em inglês), por exemplo, se queixa que os exportadores norte-americanos continuarão a sofrer dificuldades a menos que o dólar tenha uma desvalorização de 15% a 20%. "Eu sugiro a você fazer isso", disse O´Neill. "Vá até Jerry Jasinowski (presidente da NAM) para ele explicar a você o que ele pensa que deve ser feito, que seria em benefício da economia norte-americana, não apenas para o interesse do seu grupo mas de todas as pessoas da economia dos EUA", acrescentou. O´Neill disse que não considera uma intervenção do governo no mercado de câmbio como um "instrumento de política".Ele declinou em dizer se os EUA vão pressionar o Japão ou outros países asiáticos a pararem de intervir nos mercados de câmbio para enfraquecer suas próprias moedas para impulsionar as exportações, como a NAM quer que o governo norte-americano faça. O´Neill disse que falou aos governos asiáticos para focarem na promoção do crescimento econômico.O secretário norte-americano disse que tem empenhado mais do seu tempo com pessoal da área financeira tanto do Japão quanto da Europa para exortá-los a adotarem medidas de política que levem suas economias a crescerem próximas de seu potencial. "Porque seria melhor para seus povos e para eles (os países) criarem empregos e crescer 3% ao invés de nenhum porcentual", disse o secretário. "Seria bom para os EUA ter mais demanda vindo de outros países desenvolvidos", disse O´Neill.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.