ONGs celebram o colapso da reunião de Cancún

Vários membros de organizações não-governamentais (ONGs) invadiram o centro de convenções da 5ª reunião ministerial da OMC para celebrar o fracasso da reunião, depois que o Quênia e outros países africanos abandonaram as negociações e o presidente da Conferência de Cancún, Luis Ernesto Derbez, anunciou oficialmente o colapso dasnegociações.As ONGs culpam os países ricos pelo fracasso da reunião. O coordenador de comércio internacional da ONG Friends of The Earth (Amigos da Terra), Ronnie Hall, disse que o colapso das negociações mostra que "a OMC está finalmente vendo o que realmente é, uma instituição sem legitimidade, incapaz de gerar economias justas e sustentáveis."O coordenador de campanha para comércio internacional da ActionAid, Adriano Campolina, disse que a União Européia e Estados Unidos deixam Cancún envergonhados. "Os países ricos apenas estavam olhando pelos seus interesses e claramente nunca tinham intenção em oferecer qualquer coisa que resultasse em benefício real para os países em desenvolvimento", afirmou Campolina. E reiterou: "A OMC tem que voltar para Genebra (sede da entidade) e construir algo das ruínas da reunião de Cancún."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.