Nelson Antoine/ESTADÃO
Nelson Antoine/ESTADÃO

Ônibus têm combustível até segunda com greve dos caminhoneiros, diz Covas

Ainda não é necessário decretar feriado amanhã, segundo prefeito de São Paulo

Priscila Mengue, O Estado de S. Paulo

26 Maio 2018 | 23h15

Grande parte dos serviços essenciais na cidade de São Paulo – como ônibus, ambulâncias e carros da Guarda Civil Metropolitana (GCM) – só tem combustível para operar até o fim da segunda-feira. O prefeito Bruno Covas (PSDB) disse que a situação, ocasionada pela greve dos caminhoneiros em todo o Brasil, é crítica, mas não vê necessidade, por enquanto, de decretar feriado municipal.

“A situação é grave, mas está controlada”, afirmou Covas ontem, após reunião do Comitê de Gerenciamento de Crise da Prefeitura. “Tivemos boas respostas e boa resiliência, mas a dimensão da cidade é um desafio. No momento, podemos garantir a operação de serviços essenciais até segunda-feira.”

+++ Greve dos caminhoneiros: acompanhe ao vivo

Entre anteontem e a manhã de ontem, a Prefeitura conseguiu 550 mil litros de diesel. Há combustível suficiente para que os ônibus circulem com 50% da frota neste fim de semana e de 60% a 80% dos veículos na segunda-feira. Para a terça-feira, porém, não há abastecimento garantido.

Carros da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da São Paulo Transportes (SPTrans) também têm gasolina até segunda-feira. Os agentes de trânsito da CET estão orientados a não aplicar multas aos motoristas que tiverem pane seca nos veículos. O fiscal deve fazer apenas a remoção do carro para um local seguro e onde não prejudique o trânsito.

+++ Greve dos caminhoneiros: Exército mobiliza tropa e libera acesso a refinarias

O Serviço Funerário tem gasolina só até a manhã de hoje. No caso da coleta de lixo, há combustível apenas para este fim de semana. “Lembrando que tradicionalmente ela (a coleta) já não acontece no período diurno do domingo”, ressaltou Covas. No centro expandido, o Estado encontrou ontem, pela manhã, lixo acumulado, espalhado ou acondicionado em sacos. O ponto de maior acúmulo era a frente da Faculdade de Direito, no Largo do São Francisco, que teve uma festa anteontem e concentrava dezenas de copos de plástico e sacos. Na Avenida Paulista, havia concentração de sacolas perto do Paraíso.

A possibilidade de decretar feriado, segundo o prefeito, não está descartada. “A gente está a todo momento avaliando a situação”, afirmou Covas.

+++ Saiba como será o funcionamento de serviços essenciais na capital paulista neste fim de semana

Saúde. Hospitais municipais têm oxigênio e diesel para os geradores até segunda-feira. Já o combustível para o transporte de remédios e vacinas na rede municipal está garantido até quarta. Com a escolta da Polícia Militar, novos carregamentos de gases medicinais – oxigênio, nitrogênio e ar comprimido – foram garantidos na rede estadual ontem. O governo paulista também liberou verba extra para que o transporte de órgãos e tecidos fosse feito por táxi.

O baixo estoque de sangue fez o Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) cancelar as cirurgias eletivas – não emergenciais – agendadas para amanhã. Caso o estoque se normalize, os procedimentos poderão ser retomados na terça-feira. Para o HC, a dificuldade de deslocamento pode ter contribuído para a baixa de estoque. Ontem, à tarde foi registrado aumento de doações. / COLABOROU MARCELO LIMA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.