ONS ainda não definiu causas do blecaute

O presidente do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Mário Santos, disse nesta manhã, em entrevista ao programa Bom Dia Brasil, da TV Globo, que o sistema elétrico brasileiro ainda tem fragilidades, que teriam sido responsáveis pelo blecaute de ontem em alguns Estados brasileiros. "Existe um atraso no cronograma de obras que deveriam ter sido feitas e foram retardadas", admitiu. As causas da queda de um cabo em Ilha Solteira e a reação em cadeia nas linhas de transmissão, entretanto, ainda são desconhecidas."O sistema de controle e supervisão do Operador Nacional do Sistema é muito complexo e, como o operador só tem dois anos de fundação, ele não tem condições de diagnosticar sozinho o que houve. São milhares de informações", justificou Santos. Segundo ele, a companhias de energia enviarão hoje as informações ao ONS.Mário Santos disse que tem a absoluta convicção de que o ONS não pode ser responsabilizado pelo problema. "O operador é como se fosse a Infraero. Cabe a nós orquestrar o sistema. Não significa que sejamos os responsáveis", afirmou. Para ele, a participação do ONS estaria na demora do processo de recomposição da energia, mas não pela queda no cabo e pela falha no sistema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.