ONS: geração de energia está abaixo do previsto

O consumo de energia elétrica em maio está bem abaixo da previsão do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), órgão que controla a produção de energia no País. O Programa Mensal de Operação (PMO) do ONS previa uma geração média em torno de 35.525 megawatts (MW) médios em maio na região Sudeste/Centro-Oeste, que responde por dois terços do consumo nacional, mas a carga verificada até agora está 15,1% abaixo da previsão, para surpresa dos técnicos do setor. Além das variações climáticas, o consumo de energia elétrica depende, em grande parte, do ritmo da atividade econômica, especialmente da indústria. Os técnicos do setor, porém, só conseguem mensurar o impacto de cada fator com uma defasagem em torno de 30 dias.Também no Sul a geração de eletricidade está abaixo do previsto no PMO. A expectativa do ONS era de uma geração média ao redor de 8.367 MW médios, mas a carga (consumo e perdas) está 8,6% abaixo da previsão. Na Região Norte, a queda do realizado em relação ao previsto ficou em 3,4%, segundo o ONS. A única região onde a carga está acima do previsto no PMO é o Nordeste, onde a previsão era de 7.372 MW médios e o registrado está 2,1% acima do previsto.A redução do consumo é outro fator que está contribuindo para a firme recuperação dos reservatórios das grandes hidrelétricas nas últimas semanas. Na região Sudeste/Centro-Oeste os reservatórios subiram para 83,7% da capacidade, com acréscimo de 1,2 ponto percentual em relação ao final de abril. As simulações do governo apontavam que o patamar de 68% no final do período molhado (abril) seria suficiente para garantir um quadro normal de oferta de energia nos próximos dois anos. Ou seja, há uma sobra de 15,7 pontos porcentuais em relação à previsão. Além disso, as chuvas continuam intensas nesse início de maio, o que vai permitir mais armazenamento de água nas próximas semanas. "A água que caiu na cabeceira ainda vai percorrer um bom caminho até chegar aos leitos dos rios", explicou um técnico do setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.