ONU alerta contra venda de remédios pela Internet

A facilidade de acesso a drogas sujeitas a fiscalização está tornando a Internet uma fonte cada vez maior de tráfico online. O alerta será feito pela Junta Internacional de Controle de Entorpecentes das Organizações das Nações Unidas (ONU), em relatório que será divulgado hoje e ao qual o Estado teve acesso com exclusividade. O documento afirma que as drogarias e farmácias online fornecem, ilegalmente, produtos que deveriam ser vendidos sob prescrição médica a clientes sem a requisição da receita médica. O órgão avalia que o problema já é mundial e poderá se acentuar no futuro. Outra preocupação citada é que apenas um número pequeno de países - que não inclui o Brasil - tomou medidas jurídicas concretas para impedir o uso da Internet nesses casos. O problema, segundo o órgão, é que não há uniformidade de leis.Os únicos países citados no relatório são a Tailândia e Estados Unidos, apresentados como os únicos que estudam o fim das farmácias online. A junta fará um apelo aos governos e à indústria farmacêutica para que reduzam ao máximo o consumo indiscriminado de drogas sujeitas a fiscalização, além de realizar investigações independentes sobre os riscos do uso de certos remédios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.