ONU alerta para reação precipitada ao uso de etanol

A autoridade da Organização das Nações Unidas (ONU) responsável por liderar a nova força-tarefa para lidar com a crise global dos alimentos alertou hoje contra uma resposta "precipitada" ao uso crescente dos biocombustíveis. "Acho que devemos evitar uma reação precipitada", afirmou o subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários, John Holmes.Holmes foi escolhido pelo secretário-geral da organização, Ban Ki-Moon, para coordenar uma força-tarefa que irá tratar da crise provocada pela disparada dos preços dos alimentos, que desencadeou temores relacionados à fome e agitações políticas em muitos países em desenvolvimento. Nos últimos meses, o aumento dos custos dos alimentos resultaram em protestos violentos em Camarões, Egito, Etiópia, Haiti, Indonésia, Costa do Marfim, Madagáscar, Mauritânia, Filipinas e outros países. Bilhões de dólares têm sido investidos no desenvolvimento de etanol e biodiesel para ajudar a diminuir a dependência das economias ricas de combustíveis fósseis que produzem dióxido de carbono e contribuem para o aquecimento global. Na liderança dessa corrida estão Estados Unidos, Brasil e Canadá, que estão transformando matérias-primas como milho, cana-de-açúcar e soja em biocombustíveis."Os biocombustíveis foram desenvolvidos em resposta a um problema muito sério, que são os efeitos da mudança climática, a necessidade de diminuir os efeitos dessas mudanças e reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa", disse Holmes. No entanto, "isso é claramente algo que precisa de uma nova revisão nas circunstâncias atuais", acrescentou ele, pedindo uma "abordagem cuidadosa, sofisticada e diferenciada". As informações são das agências de notícias internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.