Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

ONU que saber como governo vai aplicar no social

O Comitê de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais da ONU quer saber como é que o novo governo brasileiro vai conseguir fazer investimentos na área social mantendo a mesma política econômica conduzida pelo antigo governo. A questão foi um dos pontos centrais do debate entre os membros do organismo, que nesta semana em Genebra estáavaliando a situação dos direitos econômicos e sociais no Brasil.O governo terá a oportunidade de responder às perguntas do Comitê a partir desta quinta-feira. Mas um grupo de organizações não-governamentais (ongs) do Brasil aproveitou a reunião de segunda-feira e desta terça-feira para apresentar sua própria visão sobre a situação nacional. "Nossa mensagem foi de que com a atual política econômica o governo não conseguirá lutar contra as desigualdades no País, que podem até piorar", afirmou Paulo César Carbonari, da Plataforma de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, ong que lidera o grupo que representa a sociedade civil.As ongs também entregaram um relatório no qual indicam que a desigualdade, a falta de acesso à terra e a discriminação precisam ser resolvidas no País para que as violações ao direito à alimentação, moradia e saúde sejam eliminadas. O relatório das entidade será uma das bases para a avaliação final do Comitê da ONU, marcado para ocorrer na sexta-feira. O documento das ongs será analisado juntamente com o relatório de mais de 140 páginas entregue às Nações Unidas pelo governo, mas produzido ainda durante aadministração de Fernando Henrique Cardoso. Ao final da reunião de sexta-feira, a ONU fará uma série derecomendações ao País, que teriam que ser adotadas pelo governo nos próximos anos para que os direitos humanos sejam respeitados.

Agencia Estado,

06 de maio de 2003 | 13h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.