Onze são presos em PE por adulterar máquinas de notas fiscais

Quadrilha é acusada de implantar um sistema que modifica os dados do cupom fiscal para sonegar impostos

Solange Spigliatti, Central de Notícias,

30 de setembro de 2009 | 11h55

Onze pessoas foram presas, entre elas dois servidores da Receita Estadual de Pernambuco, durante a Operação Caixa Preta, da Polícia Civil, na manhã desta quarta-feira, 30, desencadeada a partir de uma denúncia anônima.

 

Os suspeitos são acusados de adulterar máquinas que emitem notas fiscais, para que parte da arrecadação ficasse nos estabelecimentos comerciais ao invés de ir para a Secretaria da Fazenda (Sefaz). Foram detidos também quatro empresários e cinco técnicos em informática, que adulteravam os equipamentos.

 

Participaram da ação 335 policiais civis e 98 auditores fiscais da Secretaria da Fazenda, que cumpriram 11 mandados de prisão e 47 de busca e apreensão em Recife, cidades da região metropolitana, na zona da mata, do agreste e do sertão.

 

Segundo a polícia, a quadrilha implantava um sistema que modificava os dados do cupom fiscal que ficavam armazenados nos equipamentos para sonegar impostos, criando um 'caixa dois'.

 

Foram apreendidos CPUs, máquinas de emissão de nota fiscal, documentos de empresas e armas. O nome das empresas deverá ser divulgado nesta quinta-feira, 1, quando será dado o balanço geral da operação.

Tudo o que sabemos sobre:
Pernambuconota fiscaladulteração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.