Opções de investimento para o universitário

Em geral, os estudantes universitários têm pouco dinheiro disponível para investir. Isso não impede uma pequena poupança mensal para a realização de um projeto no futuro, como a compra de um carro ou uma viagem. Há fundos de investimento que aceitam aportes mínimos de R$ 100, muitas vezes com um rendimento superior ao da poupança.Como escolher o investimento Os principais fatores que devem orientar a escolha do investimento são: o que se pretende fazer com o dinheiro poupado, o tempo que o investidor pretende deixar o dinheiro aplicado, quanto dinheiro o investidor pode aplicar mensalmente e qual sua tolerância a riscos, ou seja, se está disposto a sofrer eventuais perdas para ter a possibilidade de obter um rendimento maior.Levando em consideração esses fatores, pode-se supor um perfil mais comum do estudante-investidor. Ele teria pouco dinheiro para investir, pouparia por um período curto (de até dois anos), e não estaria disposto a sofrer perdas. Para esse perfil, a principal indicação de investimento dos especialistas são os fundos de renda fixa, compostos por títulos de renda fixa - papéis emitidos pelo governo, empresas e instituições financeiras, com rendimento em juros.Existem muitos fundos de renda fixa. Cada instituição financeira monta carteiras diferentes com vários tipos de títulos de renda fixa. Os fundos pós-fixados (DI) são os que apresentam menor risco. Os de renda fixa prefixada podem ganhar mais em períodos de queda de juros, mas embutem risco adicional, porque perdem em caso de alta dos juros. Por isso, o mais seguro é colocar o dinheiro em fundos de renda fixa pós-fixados.Renda variável exige prazo indefinido e tolerância a riscoOs fundos de renda variável - compostos especialmente ações - são mais arriscados que os fundos de renda fixa, podendo render mais em determinados períodos. Porém, seu rendimento oscila muito, o que aumenta o risco. Como estamos trabalhando com um investimento de curto prazo, a possibilidade de que o investidor precise do dinheiro num momento de baixa rentabilidade é grande. Se ele não pode esperar, pode acabar no prejuízo. O investimento em renda variável é mais indicado para o investidor que, além de estar disposto a sofrer eventuais perdas de capital, pretenda deixar o dinheiro investido por um longo período para poder garantir um bom rendimento.Veja mais informações sobre fundos e outras opções de investimento nos links abaixo.

Agencia Estado,

16 de abril de 2001 | 11h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.