Opep: adesão depende do Brasil

A Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) insinua que estaria aberta a um eventual interesse de asesão do Brasil. Mas deixa claro que no momento não existem negociações nesse sentido. Segundo a Opep, critérios devem ser seguidos e seria o governo brasileiro quem deveria demonstrar interesse pela entidade. "A Opep é uma organização aberta", disse o diretor de Comunicações, Omar Farouk Ibrahim. Questionado se seria interessante para a Opep ter o Brasil como membro, afirmou: "Não temos por que excluir um país se ele cumprir todas as exigências e demonstrar interesse". "Só no ano passado tivemos a adesão de dois novos países: Angola e o retorno do Equador, que havia deixado a Opep há alguns anos." A entidade tem hoje 13 membros. Segundo o diretor, há pelos menos três critérios para ser membro da Opep. "O primeiro é ser um exportador líquido de petróleo. O segundo critério é que nossas recomendações e decisões sejam seguidas (com relação à quantidade de produção). Por último, o governo é que deve nos procurar para demonstrar interesse na adesão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.