Opep: ameaças ao Irã contribuem para alta do petróleo

O presidente em exercício da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Chakib Khelil, disse hoje que a incerteza causada pelas ameaças dos Estados Unidos e de outros países ao Irã, a desaceleração da economia norte-americana e a debilidade do dólar ante as principais moedas estrangeiras estão contribuindo para que os preços do petróleo continuem altos. Segundo Khelil, que também é ministro da Energia da Argélia, "o problema é resultado da crise econômica que atingiu os EUA, que levou à depreciação do dólar, assim como as ameaças ao Irã, que constituem uma fonte de incerteza geopolítica".Para ele, a Opep "descarta recorrer a um aumento da produção, porque no momento a oferta é maior do que a demanda e existe um excesso de produção estimado em 500 mil barris por dia".Ele reafirmou que a Opep vai se reunir no dia 9 de setembro, como já estava programado, "para proceder a uma avaliação do mercado e a tomar decisões que deverão assegurar a estabilidade do mercado" e que "os fundamentos do mercado não estão influenciando os preços neste momento". Hoje, o barril de petróleo negociado em Nova York fechou em alta para US$ 136,74. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.