finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Opep aumentará produção de petróleo a partir de 1º de novembro

O presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Purnomo Yusgiantoro, e o ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali Naimi, confirmaram, em Viena, que o grupo elevará a sua cota de produção em 1 milhão de barris por dia, para o limite de 27 milhões de barris, a partir de 1 de novembro. Naimi reafirma que o grupo não perdeu a influência sobre os preços do petróleo.Purnomo informou que o grupo voltará a se encontrar nos dias 6 e 7 de dezembro. O aumento do teto de produção, no entanto, é meramente simbólico, já que estima-se que os países-membros do grupo estejam produzindo um volume superior a esse, desrespeitando o limite atual em vigor, que é de 26 milhões de barris.Ontem, o próprio Naimi disse que o aumento do teto em 1 milhão de barris apenas estreitaria a diferença entre a cota oficial e a oferta efetiva do grupo. Estima-se que os 10 países-membros da Opep, excluindo o Iraque, estariam bombeando 1,5 milhão de barris acima dos 26 milhões autorizados, para atender à demanda mundial robusta por petróleo cru, especialmente vinda da China.O novo teto faz com que a cota limite para a Arábia Saudita suba 320 mil, para 8,77 milhões de barris por dia. Segundo fontes, o país já estaria injetando 700 mil barris acima do limite anterior de 8,45 milhões de barris por dia. "A razão do aumento do teto é para estreitar a diferença entre a produção real, que é de 28 milhões de barris por dia, com o teto oficial", disse Naimi.Ao ser perguntado porque a Opep não ajustou o teto em 2 milhões de barris, Naimi disse: "Não faria nenhuma diferença atualmente. Mas para conseguirmos um consenso, foi o que conseguimos". As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

15 de setembro de 2004 | 10h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.