Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Opep cortará 2 milhões de barris, diz ministro saudita

Se confirmado, corte será o maior em uma única reunião desde o estabelecimento do sistema de cotas em 1982

Nathália Ferreira e Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

17 de dezembro de 2008 | 09h12

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) concordou nesta quarta-feira, 17, com um corte recorde na produção de petróleo de 2 milhões de barris por dia, o maior da história do cartel, afirmou o ministro de Petróleo da Arábia Saudita, Ali al-Naimi. "Há um consenso sobre um corte de 2 milhões de barris por dia", disse ele a repórteres. Apesar disso, os contratos futuros do petróleo WTI caem em Nova York. Às 10h51 (de Brasília), o contrato do WTI negociado na Nymex eletrônica cedia 0,76% para US$ 43,27 o barril. Mas o brent para fevereiro operava em alta de 0,69%, aos US$ 46,96 o barril. O corte, que representa a maior redução em uma única reunião desde o estabelecimento do sistema de cotas em 1982, não foi oficialmente anunciado, mas normalmente as declarações da Arábia Saudita são confirmadas. Ao corte de 2 milhões de barris da Opep deverão se somar reduções dos não membros Rússia e Azerbaijão de 600 mil barris, elevando para 2,6 milhões ao dia o provável corte na produção diária global de petróleo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.