Opep cumprirá aumento da produção e preço do petróleo cai

O presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Purnomo Yusgiantoro, reiterou que o grupo dará prosseguimento a seu plano de elevar a produção de petróleo do grupo em 500 mil barris por dia a partir de 1º de agosto. A declaração segue-se às afirmações de alguns representantes de países pertencentes ao grupo, indicando que a Opep poderia deixar de realizar o aumento da produção.O ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali Naimi, afirmou que a Opep não voltará atrás e que a decisão não será revisada no próximo encontro do grupo, em 21 de julho em Viena. No encontro anterior, a Opep decidiu elevar sua produção em 2,5 milhões de barris em duas etapas; na primeira, em 2 milhões de barris a partir de 1º de julho e na segunda, em 500 mil barris a partir de 1º de agosto.A possibilidade de não cumprimento do aumento da produção era mais um fator de preocupação dos investidores. Havia ainda a preocupação com a interrupção do transporte de petróleo entre o norte e o sul do Iraque. O fato é que, no final de semana, houve um atentado a oleodutos iraquianos, o que reduzirá a produção do país.PreçosNesta quarta-feira, com as declarações da Opep e da Arábia Saudita, de que cumprirão o cronograma de elevação da produção acertado na reunião do começo de junho do cartel, os preços do barril do petróleo no mercado futuro, tanto o tipo brent quanto o cru, estão em queda. Às 8h12 (horário de Brasília), o contrato de agosto do petróleo cru caía US$ 0,62 (queda de 1,56%), para US$ 39,03 o barril no pregão eletrônico da Nymex. O mesmo contrato do petróleo brent cedia US$ 0,57 (queda de 1,53%), para US$ 36,61 o barril em Londres. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.