Opep decide elevar produção de petróleo a partir de julho

O ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali Naimi, afirmou que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) concordou em elevar o teto de produção do grupo em 2 milhões de barris, para 25,5 milhões de barris por dia, a partir de 1º de julho. O grupo acertou um aumento adicional do teto em mais 500 mil barris a partir de 1º de agosto. A decisão foi tomada na reunião fechada e confirmada por outros ministros que entravam para a sessão aberta do grupo, que deve ratificar o aumento.Apesar de indicações do ministro do Petróleo do Kuwait, sheik Ahmad Fahad Al-Sabah, de que o cartel estabeleceu uma nova banda de flutuação de preços para a cesta referencial, que seria de US$ 30 a US$ 32, essa informação foi negada por outros ministros, inclusive pelo presidente da Opep, Purnomo Yusgiantoro.Tanto o presidente da Opep como o ministro do Petróleo do Irã, Bijan Namdar Zangeneh, afirmaram que a banda de preços será discutida amanhã, enquanto o ministro do Petróleo da Venezuela, Rafael Ramirez, declarou que a questão só será decidida em setembro.Aumento simbólicoOs mercados previam que a Opep ampliaria o teto em 2,5 milhões de barris por dia. A decisão da Opep ainda tem de ser confirmada no encontro formal, que começou por volta das 10h. Se confirmado, o aumento será meramente simbólico já que legitima o volume excedente já produzido pelos países membros.O ministro saudita declarou ainda que a situação do mercado de petróleo será reavaliada em 21 de julho, durante encontro em Viena. Ao ser perguntado se a Arábia pode produzir 9,1 milhões de barris em julho, Naimi disse que isso será anunciado mais tarde. Sobre a reação do mercado à decisão da Opep, Naimi declarou que "isso é um jogo de adivinhação". As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.