Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Opep deve cortar teto da produção, diz fonte. E o preço sobe

A Opep deve reduzir o teto de sua produção em 900 mil barris a partir de 1º de novembro, segundo informação de fonte próxima às deliberações do grupo, que esteve reunido informalmente. A decisão contraria as estimativas e as declarações dadas por alguns ministros antes de entrarem na reunião. De acordo com a mesma fonte, a Opep deverá reunir-se novamente em 4 de dezembro para nova avaliação das condições do mercado. Normalmente, a Opep toma suas decisões durante o encontro informal, as quais são ratificadas na reunião formal, prevista para após o almoço dos Ministros. Preços sobem O petróleo reage em alta aos comentários ainda extra-oficiais de que a Opep deverá enxugar o teto de sua oferta do produto em 900 mil barris por dia. Essa sinalização de corte surpreendeu o mercado, que trabalha com a expectativa de que o cartel não mexeria hoje em seus níveis de oferta. Na International Petroleum Exchange (IPE), em Londres, os contratos futuros do petróleo Brent para novembro são negociados na máxima do dia, com alta de US$ 0,53 (2,08%), a US$ 26,05 o barril. No sistema eletrônico da New York Mercantile Exchange (Nymex), os contratos do cru com o mesmo vencimento também estão na máxima, subindo US$ 0,48 (1,77%), a US$ 27,63 o barril.

Agencia Estado,

24 de setembro de 2003 | 09h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.