Opep interrompe reunião sem decidir sobre produção

Os líderes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não conseguiram alinhavar um consenso sobre a produção, após divergências internas terem surgido sobre a oferta de 2 milhões de barris por dia de sua capacidade ociosa. Os ministros da Opep interromperam a reunião para almoçar e voltam a se reunir durante a tarde. Os ministros afirmaram que as duas propostas ainda estavam nas mesas. Uma das propostas prevê a elevação do teto de produção de petróleo em 2% para 28,5 milhões de barris por dia. A outra manteria as cotas inalteradas, ao mesmo tempo em que colocaria à disposição os cerca de 2 milhões de barris ao dia da capacidade disponível, mas não utilizada de produção de petróleo, caso haja necessidade de estabilizar os preços do mercado. Antes do encontro desta manhã, o cartel parecia inclinado a chancelar a oferta dos 2 milhões de barris de sua capacidade ociosa de produção para, eventualmente, estabilizar preços do petróleo. A maioria dos ministros manifestou apoio a essa idéia. Mas o ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Aki Naimi, defendeu o aumento efetivo da cota de produção. Os contrários à elevação efetiva da cota temem que ocorra uma situação de oferta excessiva e que não haja compradores para essa quantia adicional, já que algumas refinarias nos EUA seguem fechadas desde a passagem do Katrina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.