Opep mantém produção de petróleo inalterada

Como já era previsto pelo mercado, os membros da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep), reunidos na cidade de Osaka, no Japão, anunciaram hoje que vão manter no último trimestre deste ano a sua atual produção de petróleo, que é de 21,7 milhões de barris diários. Logo após o anúncio oficial da decisão, o preço barril do petróleo Brent registrava uma queda de 0,3% em Londres, sendo negociado a US$ 28,25. Às 7h09 (de Brasília), o mesmo contrato valia US$ 28,25 o barril, queda de US$ 0,07 (0,25%). O contrato do petróleo cru recuava US$ 0,12 (0,41%), para US$ 29,36 o barril no pregão eletrônico Access da Nymex.Nova reunião em 12 de dezembroPara tranquilizar os países consumidores sobre uma eventual escassez no fornecimento nos próximos meses, os países da Opep também anunciaram uma reunião extraordinária em 12 de dezembro para avaliar a situação do mercado. A reunião ocorrerá em Viena. O comunicado da Opep prevê também mais um encontro extraordinário em 11 de março, em Viena. O ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali Naim, disse que a Opep tem como prioridades promover a estabilidade no mercado e obter um preço justo. Segundo ele, a Arábia Saudita, maior produtor mundial de petróleo, considera que o preço ideal é de US$ 25 por barril. O ministro para o Petróleo do Irã, Bijan Zanganeh, informou também que a Opep pretende acabar com a prática entre alguns de seus membros de exceder as quotas de produção combinadas. Atualmente, os dez países membros estão produzindo 1,9 milhão de barris diários acima da meta de 21,7 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.