Opep: países emergentes compensarão queda nos EUA

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) acredita que os Estados Unidos provavelmente já entraram em recessão, mas deixou praticamente estável sua previsão para a demanda mundial de petróleo por causa da força das economias emergentes. Dias depois que a Agência Internacional de Energia (AIE) fazer seu maior corte nas previsões de crescimento da demanda por petróleo global em sete anos, a Opep, com sede em Viena, informou em seu relatório mensal que suas projeções foram pouco alteradas.O grupo de 13 países membros, que fornece mais de 40% da produção mundial de petróleo, projetou crescimento da demanda por petróleo de 1,4%, ou 1,2 milhão de barris por dia, inalterado em relação à previsão anterior, com demanda total de quase 87 milhões de barris/dia no ano. A AIE cortou sensivelmente sua previsão na semana passada, deixando-a mais em linha com os números da Opep, de crescimento de 1,5% ou 1,3 milhão de barris/dia.Segundo o relatório da Opep, "aparentemente é muito provável que os EUA tenham entrado em recessão no primeiro semestre do ano por causa da contínua fraqueza dos mercados de trabalho". O relatório acrescenta que "com a crescente preocupação sobre a desaceleração da economia dos EUA e os preços mais altos da gasolina, há uma chance de que o declínio poderá ser mais pronunciado, levando a uma demanda ainda menor no segundo trimestre".A produção atual, diz o relatório da Opep, "será suficiente tanto para atender ao crescimento da demanda quanto para contribuir com mais formação de estoques". As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.