Opep pode cortar produção de petróleo na próxima reunião

Segundo o CGES, apesar da economia precisar da commodity a preços baixos, Opep quer manter cotações altas

Daniela Milanese, da Agência Estado,

21 de janeiro de 2008 | 12h50

Apesar dos níveis decrescentes dos estoques, os ministros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) podem decidir por reduzir a produção de petróleo na próxima reunião da entidade, que acontece no início de fevereiro em Viena. A avaliação é do Centro para Estudos Energéticos Globais (CGES, na sigla em inglês). "A economia global precisa de petróleo a preços mais baixos para evitar o risco de recessão, mas os membros da Opep parecem determinados a evitar que as cotações caiam", diz o relatório do CGES divulgado nesta segunda-feira, 21. Segundo o centro de estudos, o "perigo" de um corte na produção da Opep existe, caso a atividade econômica nos EUA continue se enfraquecendo e os preços do petróleo sigam caindo no mercado. "Os ministros da Opep vão enfrentar uma decisão difícil quando se encontrarem no início de fevereiro." O CGES lembra que a alta da commodity nos últimos 12 meses pode ser explicada, principalmente, pelos fundamentos (demanda elevada), sem descartar os fatores geopolíticos e a especulação. Os estoques do óleo cru caíram para a mínima dos últimos cinco anos. Agora, o CGES estima que os estoques recuarão mais de 500 mil barris por dia em 2007, em média, iniciando 2008 no nível mais baixo já registrado pelo instituto (desde 1997). Para o centro de estudos, caso a Opep realmente decida cortar a produção de petróleo para sustentar os preços diante da desaceleração dos EUA, acabaria acelerando a retração econômica. Além disso, essa estratégia colocaria pressão na própria coerência da Opep.

Mais conteúdo sobre:
PetróleoOpep

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.