Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Opep prevê em 2009 menor demanda de petróleo desde 2002

Grupo aponta desaceleração econômica como causa do menor crescimento e enfatizou aumento de estoques

NATHÁLIA FERREIRA, Agencia Estado

15 de agosto de 2008 | 09h45

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) alertou nesta sexta-feira, 15, que a desaceleração econômica global levará a um maior enfraquecimento do crescimento da demanda por petróleo e enfatizou o potencial de um forte aumento nos estoques da matéria-prima (commodity). O grupo também reiterou que a demanda por petróleo da Opep, que atende cerca de 40% do consumo diário mundial, deve diminuir cerca de 700 mil barris por dia no próximo ano em relação a este, para o seu menor nível desde 2002.   Veja também: AIE e petrolíferas criticam mudanças na Lei do Petróleo Soros aposta 22% do seu fundo na Petrobras País pode ter o terceiro maior campo de petróleo do mundo"Com a produção da Opep bem acima da demanda esperada por petróleo, há o potencial de um forte aumento nos estoques da matéria-prima", disse a Opep, em seu relatório mensal. Segundo a Opep, a atual estrutura do mercado futuro de petróleo, onde os contratos mais curtos estão mais baratos do que os mais longos, indica que a oferta atual é mais do que suficiente para suprir a demanda e encorajaria mais o acúmulo de estoques.A demanda nos Estados Unidos foi fortemente afetada pela desaceleração da economia e pelos preços elevados do petróleo, com o combustível para transporte e indústria registrando o maior declínio em demanda. Até mesmo o forte crescimento de demanda na China, Oriente Médio e Ásia fez pouco para compensar o forte declínio da demanda nos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) no segundo trimestre, mostrou o relatório. A OCDE reúne 30 países, que produzem mais da metade de toda a riqueza do mundo. O Brasil não faz parte da organização.Após a queda expressiva dos preços do petróleo em meados de julho e agosto, o relatório enfatizou que o enfraquecimento dos fundamentos do mercado começa a se refletir nos preços. "De fato, a reação morna do mercado às recentes interrupções de oferta no Cáucaso indica a recente mudança de sentimento", disse o relatório. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoOpep

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.