Opep prevê instabilidade para o mercado de petróleo

Turbulência econômica está afetando a demanda pela commodity, alerta a organização

Danielle Chaves e Álvaro Campos, da Agência Estado,

13 de dezembro de 2011 | 10h46

LONDRES - A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) projetou um cenário incerto para o mercado da commodity, alertando que as fracas perspectivas para a economia mundial provavelmente apresentarão um risco significativo de instabilidade no próximo ano.

"A turbulência econômica está afetando a demanda por petróleo conforme a desaceleração atinge as atividades industriais em todo o mundo", afirmou a Opep em seu relatório mensal. O grupo reduziu sua previsão para o crescimento da demanda em 2012, depois que o enfraquecimento do consumo nos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) foi sentido também na China e na Índia.

O crescimento da demanda por petróleo é agora previsto em 1,1 milhão de barris por dia em 2012, abaixo da estimativa anterior de aumento de 1,2 milhão de barris por dia. A Opep alertou que a demanda pode se enfraquecer mais ainda se as economias dos EUA e da China tiverem desempenho abaixo do esperado no primeiro semestre do próximo ano.

No entanto, a Opep afirmou que ainda prevê que a demanda pelo petróleo produzido pelos países do grupo aumente em 2012, graças a um declínio maior do que o esperado nas regiões que não integram a Opep.

AIE

A Agência Internacional de Energia (AIE) também reduziu sua projeção para o crescimento da demanda global por petróleo em 2012. Mas a agência afirma que a demanda vai permanecer robusta e os mercados apertados até 2013.

A demanda por petróleo deve crescer à média de 1,2%, ou 1,1 milhão de barris por ano, nos próximos cinco anos, liderada por países de fora da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). A AIE prevê uma demanda global de petróleo de 95 milhões de barris por dia em 2016, de 88,3 milhões de barris por dia em 2010. No ano que vem, a demanda deve ser de 90,3 milhões de barris por dia, acima da marca de 89 milhões de barris por dia este ano.

"A demanda global adjacente está cerca de 300 mil barris por dia menor do que nós esperávamos no meio do ano, basicamente em função dos países da OCDE. Então, realmente o desempenho econômico mais fraco está causando isso e diminuindo a demanda", comentou David Fyfe, diretor da divisão de indústria petroleira e mercados da AIE.

Apesar do crescimento da demanda, o aperto nos mercados de petróleo observado nos últimos dois anos pode se suavizar ao longo dos próximos cinco anos, com perspectivas positivas no lado da oferta. A recuperação da produção no Iraque e na Líbia ocorreu mais rápido do que o esperado, e nos EUA deve aumentar a produção do petróleo retirado do xisto betuminoso.

A AIE prevê uma demanda de 30,2 milhões de barris por dia em 2012 para o petróleo produzido pelos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoeconomiaOpep

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.