Opep quer que acordo climático vislumbre compensação a produtor

Os países petrolíferos mais pobres devem ser compensados pela perda de receitas se as negociações climáticas em Copenhague decidirem pelo corte no uso da commodity, afirmou o secretário-geral da Opep, Abdallah al-Badri, em entrevista divulgada no jornal The Times neste sábado.

REUTERS

21 de novembro de 2009 | 17h10

O protocolo de Kyoto, precursor de Copenhagen, inclui o pedido de assistência financeira e não obedecer a essa condição pode ser fatal para as negociações do mês que vem na capital dinamarquesa, afirmou o membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo.

Badri disse que os países ricos consumidores precisam reconhecer sua responsabilidade pela maior parte das emissões de dióxido de carbono até agora e que eles não deveriam impedir os mais pobres de melhorarem o padrão de vida do seu povo.

"Não estamos emitindo", disse ele na sede da Opep, em Viena. "Historicamente são os países desenvolvidos. A responsabilidade está nos ombros deles."

"Precisamos de uma aproximação compreensiva e sofisticada."

Mais conteúdo sobre:
PETROLEOCLIMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.