Opep revisa para baixo demanda mundial de petróleo

A Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) revisou para baixo nesta terça-feira sua previsão sobre o aumento da demanda mundial do produto em 2006, ao diminuí-la de 1,46 milhão para 1,43 milhão de barris diários (mbd). Dessa maneira, segundo o "Relatório Mensal sobre o Mercado do Petróleo", a demanda mundial alcançará 84,53 mbd, total 1,72% maior que a de 2005. Segundo a organização, a baixa, que é feita pela terceira vez seguida em 2006, baseia-se nos altos preços do petróleo. Uma prova disso foi o preço do produto, que nesta terça atingiu patamares históricos. A cotação do barril do tipo Brent (referência) superou pela primeira vez a marca de US$72, enquanto o barril de petróleo de referência da Opep bateu um novo recorde ao ser negociado a US$65,02. Tensão Segundo analistas, a alta é uma resposta à tensão relacionada à polêmica nuclear iraniana, e à suspensão de mais de um quinto da produção de petróleo na Nigéria em razão de ataques das milícias rebeldes. Além dos conflitos geopolíticos, a Opep afirma que a alta dos preços é fruto das dificuldades encontradas pelo setor de refino, principalmente nos Estados Unidos, onde as limitações de capacidade, as novas regulamentações ambientais sobre a composição da gasolina e as ações de manutenção das refinarias "reduziram mais do que o esperado" as reservas de combustível. "A contínua alta dos preços do petróleo pode representar um risco para o crescimento", diz o relatório, segundo o qual "se espera um desaquecimento da economia americana" no final do ano. Ainda, os fatores que estão por trás do grande aumento de preços serão mantidos nos próximos meses, especialmente os trabalhos de manutenção realizados pelas refinarias e "as preocupações relativas aos problemas de fornecimento ligados a conflitos geopolíticos". AIE Agência Internacional da Energia (AIE) também baixou suas previsões. No último dia 12, o consumo de petróleo foi estimado em 1,47 mbd - 1,8% maior que o de 2005 - atindindo 85,1 mbd. No segundo mês do ano, os 11 países membro da Opep produziram juntos 29,6 mbd, 200 mil barris diários a menos do que em janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.