Opep: rumores de aumento na produção

As primeiras informações, ainda não oficiais, dão conta que os ministros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) chegaram a um acordo para elevar a produção para mais de 500 mil barris/dia. O mercado espera queda de preços para até US$ 25 o barril.A declaração foi dada pelo secretário-geral da organização, Rilwanu Lukman, após o término do encontro informal dos chefes da delegação em Viena. Outra fonte da Opep, Ali Naimi, ministro do petróleo da Arábia Saudita, afirmou que a produção deve ser aumentada a partir de 1º de julho. Ele não quis informar porém, de quanto será esse aumento.Informalmente, alguns delegados que participaram da reunião de hoje cedo confirmam as especulações de aumento na produção do petróleo. Porém, um delegado nigeriano disse à Agência Dow Jones que a Opep estaria discutindo aumentar a produção em 800 mil barris por dia. Analistas apostam em queda de preço e reação positiva do mercado O consenso entre os analistas é que o cartel irá elevar a produção na reunião formal de hoje, marcada para a uma hora da tarde, horário de Brasília. Será a segunda reunião do ano da Opep, mais uma vez sob pressão devido aos preços altos do petróleo. No encontro de março houve um aumento de 700 mil barris/dia, mas a medida não foi suficiente para acalmar o mercado e baixar os preços.Até ontem, os representantes dos países membros estavam divididos sobre o assunto. Isso fez com que a cotação do petróleo fechasse a terça-feira em alta. Nesta manhã, o preço do barril estava em queda em Londres e subindo um pouco em Nova Iorque. Aumento da produção pode derrubar o preço do barril para US$ 25 Sob a pressão dos Estados Unidos, que estão preocupados com o aumento do consumo por causa das férias e uma alta maior ainda dos preços, a Arábia Saudita, o maior produtor mundial, tem defendido uma ampliação da oferta em até 900 mil barris/dia. Esse volume seria suficiente para provocar a redução das cotações dos cerca de US$ 30 atuais para o nível de US$ 25 o barril. Mas outros membros da Opep, como Argélia, Venezuela e Irã, consideram que o nível ideal de incremento estaria próximo de 500 mil barris/dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.