finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Opep tenta acalmar mercado: há condições para aumentar produção

A alta dos preços do petróleo não é causada por fundamentos do mercado (oferta e demanda), declarou hoje Purnomo Yusgiantoro, presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Em nota oficial, Yusgiantoro, que também é o ministro da Energia da Indonésia, afirma que o cartel está tentando resolver os problemas relacionados à oferta e demanda da commodity e continua procurando formas de acalmar os mercados. Segundo ele, a Opep é capaz de aumentar a sua produção entre 1,5 milhão e 2 milhões de barris diários, se necessário, e alguns dos países integrantes da entidade já "tomaram passos para garantir que os mercados continuem bem abastecidos". Yusgiantoro disse que a Opep "vai continuar monitorando cuidadosamente a situação do mercado e tomará qualquer decisão considerada necessária para o interesse da economia mundial". Sobre a alta registrada ontem, quando o preço do barril fechou em US$ 49,90, em Nova York, e US$ 46,45, em Londres, Yusgiantoro observou que o aumento se deve a vários fatores, como a instabilidade política na Nigéria, o furação nos Estados Unidos, os problemas na empresa russa Yukos e a contínua violência no Iraque. Isso significa que a alta dos preços nos últimos dias tem sido motivada pelo temor dos investidores em relação ao risco de queda na oferta do petróleo no futuro. "Essas tensões têm compreensivelmente causado uma especulação considerável nos preços futuros do petróleo, com o elevado nível de incerteza inserindo no mercado, o que vem sendo chamado de fator do medo", explicou.

Agencia Estado,

29 de setembro de 2004 | 13h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.