Opep vai manter oferta de petróleo inalterada, diz Argélia

Nos mercados de futuros internacionais, o petróleo tem sido negociado a cerca de US$ 75 por barril

REUTERS

20 de dezembro de 2009 | 11h58

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) vai manter o fornecimento sem mudanças quando se reunir em Angola na terça-feira, 22, afirmou neste domingo o ministro da Energia da Argélia, Chakib Khelil.

"Não haverá mudança na oferta de petróleo da Opep. A Opep não vai reduzir a oferta e não vai aumentar a oferta," disse ele a jornalistas.

Uma reunião do grupo produtor na terça-feira em Luanda é esperada para manter a atual restrição no fornecimento porque embora os estoques de petróleo estejam muito altos o preço também está robusto.

Nos mercados de futuros internacionais, o petróleo tem sido negociado a cerca de US$ 75 por barril - nível que a Arábia Saudita, principal exportadora, e outros países consideram justo para consumidores e produtores.

A Opep oficialmente manteve as metas de oferta desde que acertou um corte recorde no fornecimento em dezembro do ano passado, de 4,2 milhões de barris por dia (bpd).

A Opep executou cerca de 80% dessas reduções no início do ano, mas o obedecimento à medida recuou a cerca de 60%, já que os preços do petróleo se recuperaram depois de uma forte queda no ano passado.

Alguns disseram que o encontro de terça-feira pode justificar o menor atendimento à redução de oferta, enquanto outros avaliam que a Opep pode precisar agir para reduzir o fornecimento excessivo em 2010.

Em um relatório divulgado no fim de semana, a consultoria PFC Energy afirma que a Opep pode precisar reduzir a oferta de petróleo em um milhão de bpd no início de 2010 caso a fraca demanda leve a mais aumento dos estoques, mas não antecipou que haveria redução no fornecimento a ser acertada na reunião de Luanda.

Tudo o que sabemos sobre:
PETROLEOOPEPARGEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.