Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Operação do BCE pode não ser suficiente para aliviar bônus soberanos

Apetite dos bancos pelo risco dos bônus dos governos pode ser limitado, dada a pressão que sofrem para reduzir riscos e aumentar reservas

Danielle Chaves, da Agência Estado,

21 de dezembro de 2011 | 10h26

FRANKFURT - Alguns participantes do mercado acreditam que a nova linha de crédito do Banco Central Europeu (BCE) vai estimular os bancos a comprarem dívida de seus governos ou manter os bônus soberanos que possuem. No entanto, a capacidade dos bancos de sustentar os mercados de dívida soberana pode se limitada.

Hoje o BCE distribuiu € 489,191 bilhões em empréstimos de três anos para 523 países, um volume acima do esperado pela maior parte dos analistas. Isso abre espaço para que os bancos comprem bônus soberanos. Ontem, o leilão de título da Espanha sinalizou que a liquidez ampliada já poderia estar ajudando o mercado de dívida de alguns países, pois o governo captou mais recursos do que o pretendido e com um custo mais baixo do que em leilões anteriores.

Mas analistas alertam que o apetite dos bancos pelo risco adicional dos bônus dos governos sobre seus balanços financeiros pode ser limitado, dada a pressão que as instituições vêm sofrendo para reduzir o tamanho e o nível de risco de seus balanços e aumentar suas reservas.

Em vez de comprar dívida soberana, os bancos podem acabar guardando o excesso de liquidez na linha de depósitos overnight do BCE ou usando os recursos para ajudar a refinanciar dívidas. O uso da linha de depósitos do BCE subiu para € 251,35 bilhões ontem, de € 225,55 bilhões na segunda-feira. Os bancos estão receosos em emprestar uns aos outros por causa da exposição das instituições à dívida soberana de países fracos da zona do euro. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.