Operações de crédito crescem 7,9% no acumulado do ano

O sistema financeiro nacional movimentou um total de R$ 442,387 bilhões em operações de crédito no mês passado, o que representou um aumento de 1,4% no mês e de 7,9% no ano. "A evolução das operações de crédito do sistema financeiro, em junho, refletiu o ritmo mais intenso da atividade econômica, destacando-se o desempenho das operações com recursos livres, envolvendo, sobretudo, os financiamentos internos para empresas e os empréstimos concedidos para pessoas físicas", afirmam os técnicos do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, em nota divulgada hoje.O estoque de crédito concedido com recursos livres pelos bancos no mês passado atingiu R$ 252 bilhões, o que significou um crescimento de 1,5% no mês e de 12,4% no ano. "O desempenho no mês (do crédito livre) foi determinado pelo incremento de 1,4% nas carteiras de empréstimos a pessoas jurídicas, volume de R$ 152 bilhões, salientando-se, também, o crescimento de 1,8% nas operações destinadas as pessoas físicas", disseram os técnicos.Os supermercados e lojas de departamento puxaram o movimento de contratação de operações de crédito com recursos livres no mês passado, segundo o levantamento feito pelo Depec. "Em junho, essas empresas ampliaram suas captações de recursos via financiamento de capital de giro, vendor e desconto de duplicatas", disse Altamir Lopes. "Esse é um processo em linha com o movimento de crescimento da economia", completou. Prazos e inadimplênciaOutro destaque no mercado de crédito em junho foi o aumento gradativo dos prazos das operações. Os descontos de duplicata, por exemplo, estão com um prazo médio de 308 dias. Os financiamentos voltados para aquisição de bens atingiram um prazo médio de 279 dias. "Há uma conjugação interessante de prazos maiores e redução da inadimplência", comentou Lopes.A taxa média de inadimplência das empresas no mês passado atingiu 3,4%, o menor patamar já registrado pelo Banco Central. No caso das pessoas físicas, a inadimplência atingiu a média de 13%, o menor patamar apurado desde junho de 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.