Operações do Bradesco na África tiveram mudança de estratégia

Segundo o presidente do banco, não há previsão de conclusão de estudo sobre o início das operações no continente

Altamiro Silva Junior, da Agência Estado,

31 de janeiro de 2011 | 14h01

O projeto de iniciar operações na África, em parceria com o Banco Espírito Santos (BES) e o Banco do Brasil, continua sendo estudado, mas em velocidade diferente do que quando foi assinado o memorando de entendimento, em agosto do ano passado. "Houve mudanças de estratégia", disse o presidente do Bradesco Luiz Carlos Trabuco Cappi, sem dar maiores detalhes, durante teleconferência com jornalistas para comentar os resultados de 2010 do banco. "O estudo é detalhado e longo. Não há previsão de conclusão e término."

Já com relação à bandeira Elo, Trabuco disse que a operação "está bastante evoluída". Segundo ele, para o lançamento da bandeira, havia algumas pré-condições contratuais, que incluíam a saída da bandeira americana Visa do capital da Visa Vale, empresa de cartões de benefícios. A venda das ações da Visa foi anunciada na semana passada. "O processo vai acontecer agora com mais celeridade."

Trabuco ressaltou que as projeções divulgadas para o banco referentes a 2011 já levam em conta as medidas que o governo anunciou em dezembro para frear o crédito ao consumo. O banco espera crescimento de 15% a 19% na carteira total de crédito, que deve ser puxado pelos empréstimos a pequenas e médias empresas e pelo crédito consignado. Na pessoa física, a aposta é em expansão de 13% a 17%. Na pessoa jurídica, de 16% a 20%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.