Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Operações podem ser feitas por celular sem internet

Depois de se cadastrar na plataforma e-dinheiro, o usuário poderá fazer pagamentos e transferências até via SMS

O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2015 | 05h01

A plataforma e-dinheiro, idealizada pelo Banco Palmas em parceria com a empresa MadeApp, permite que pagamentos e transações sejam realizadas pelo celular ainda que o aparelho não seja smartphone. Isso porque as operações podem ser feitas por mensagens de texto (SMS), funcionalidade disponível nos aparelhos mais simples.

Nesse caso, o usuário tem de obrigatoriamente ir ao banco comunitário para cadastrar o número dele na rede atendida pela plataforma.

A partir daí, quando quiser realizar alguma transferência, envia uma SMS para o número 27800 com a palavra "transferir", seguida do número de destino (celular também cadastrado na plataforma). A mensagem é recebida por uma central da MadeApp que, então, faz a transferência. Além dessa função, os celulares mais simples podem também consultar o saldo.

"Esse é um diferencial do nosso aplicativo. Há diversas plataformas de pagamento via celular que só funcionam em smartphones, e outras, mais antigas, que só funcionam via SMS. Nós conseguimos contemplar os dois sistemas", afirma o diretor e fundador da MadeApp, João Bosco Lima.

Lima explica que também é possível realizar operações entre dois smartphones caso apenas um deles tenha acesso à internet móvel. Nesse caso, o aparelho que estiver online lê o QR-code (código de barras que pode ser lido por celulares) disponível no outro celular e a operação é realizada.

Foi essa funcionalidade que mais impressionou Cleberson Pereira, agente de finanças do Banco Comunitário União Sampaio, que funciona há seis anos no Jardim Maria Sampaio, zona sul da capital paulista. A comunidade deve lançar o Sampaio e-dinheiro dia 13. "Estamos com boas perspectivas em relação à implementação da moeda eletrônica. Poderemos aumentar o nosso lastro e assim alavancar todas as nossas práticas de economia solidária." / L.M. e M.L.

Tudo o que sabemos sobre:
banco palmassms

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.