Opinião do relatório Focus pode estar defasada

Na primeira pesquisa realizada pelo Banco Central após o aumento do juro básico da economia, a Selic, na semana passada, analistas reduziram a aposta para o patamar do juro até o fim do ano. Pelas contas do mercado, a taxa deve subir 1 ponto porcentual nas próximas reuniões, o que levaria a taxa dos atuais 10,75% para 11,75%.

Fernando Nakagawa / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2010 | 00h00

Na pesquisa anterior, antes do aumento de 0,50 ponto porcentual anunciado na quarta-feira, economistas previam juro de 12% no fim do ano.

Vale observar, porém, que o fato de a pesquisa coletar dados durante toda a semana passada pode fazer com que o resultado esteja "atrasado", já que a decisão anunciada na noite de quarta-feira pegou a maioria dos economistas de surpresa e muitos que responderam de segunda-feira a quarta-feira não tiveram oportunidade de revisar as respostas.

No mesmo levantamento, a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) diminuiu pela terceira semana consecutiva, de 5,42% para 5,35%.

Para 2011, a estimativa seguiu em 4,80%, pela 15ª semana seguida. Nos dois casos, apesar da queda, a estimativa de mercado é superior ao centro da meta de inflação, de 4,50% para ambos os anos.

Quanto ao crescimento da economia, foi mantida a previsão de que o Produto Interno Bruto (PIB) deve ter uma expansão de 7,20% neste ano. É o mesmo cenário registrado nas últimas três semanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.