Oposição grega diz que votará contra austeridade, diz Financial Times

Decisão de votar contra prejudica perspectiva de uma unidade política em torno dos esforços para evitar o colapso financeiro do país

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

22 de junho de 2011 | 12h35

A liderança da oposição grega disse que seu partido irá votar contra as novas medidas de austeridade, prejudicando a perspectiva de uma unidade política em torno dos esforços para evitar o colapso financeiro do país, informou a agência Dow Jones citando reportagem do Financial Times.

"Eles me pedem para dar apoio ao mesmo remédio que está matando alguém. Não farei isso", disse Antonis Samaras, líder do partido de centro direita Nova Democracia ao FT, informou a agência Dow Jones.

O governo socialista do governo pretende aprovar na semana que vem um pacote de medidas de austeridade de 28 bilhões de euros, em cortes de gastos e aumento de impostos, para garantir a próxima tranche de 12 bilhões de euros do programa de socorro financeiro de 110 bilhões de euros concedido ao país em 2010. Sem a tranche, a Grécia não conseguirá honrar seus compromissos de julho.

O governo tem uma pequena maioria no parlamento de 300 cadeiras, mas todos os 155 membros do partido Pasok do primeiro-ministro, George Papandreou, apoiaram as mudanças que fez recentemente em seu gabinete, por meio de um voto de confiança realizado ontem. Todos os membros do partido Nova Democracia votaram contra a moção de confiança.

A votação indica que o governo pode aprovar as medidas de austeridade, mas os credores temem que as reformas exigidas para evitar um calote e um choque severo no sistema financeiro global nunca sejam implementadas sem a unidade entre o Pasok e a Nova Democracia. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.