carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Oposição quer tirar do ar campanha do governo federal

Para presidente do PT, propaganda institucional que fala em ‘tirar o Brasil do vermelho’ tem objetivo de ‘liquidar’ o partido

Ricardo Brito, Adriana Fernandes e Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2016 | 09h44

BRASÍLIA - Lideranças da oposição na Câmara e no Senado vão entrar com uma representação na Procuradoria-Geral da República para pedir a imediata suspensão da propaganda institucional do governo Michel Temer – veiculada ontem em jornais brasileiros e que deve ser divulgada em outros meios de comunicação – intitulada ‘Vamos Tirar o Brasil do Vermelho para voltar a Crescer’. Para adversários do governo, o anúncio tem como meta incitar o ódio ao PT, ao fazer uma mensagem subliminar ao vermelho, cor pela qual o partido é conhecido

Feita para subsidiar o governo e aliados na disputa para aprovar a PEC do teto dos gastos e outras medidas do ajuste fiscal, a peça cita o fato de que a gestão Temer encontrou uma situação “muito grave” nas contas públicas quando assumiu após o afastamento de Dilma Rousseff. Cita ainda uma série de 14 fatos, como prejuízos bilionários em empresas estatais, obras inacabadas e o inchaço da máquina pública.

O presidente do PT, Rui Falcão, disse que a campanha deixa evidente a intenção de Temer de “liquidar” o partido. “Não basta nossa derrota eleitoral. Querem nos eliminar da vida política”, afirmou Falcão, depois de reunião da Executiva Nacional do PT, a primeira após as eleições municipais. Para o líder da oposição no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), o anúncio quer prejudicar a legenda em meio às eleições municipais. “É um discurso para o PT. Nem na ditadura tiveram essa ousadia”, criticou.

A representação vai pedir, além da imediata suspensão de campanha, apuração de ocorrência de crime eleitoral, avaliação dos custos da peça e uma eventual devolução desses gastos em caso de irregularidade comprovada. A oposição também vai agir em outras frentes: pedir, via requerimento de informações no Senado, informações sobre o anúncio e ainda está em estudo se vai mover ações civis de ressarcimento aos cofres públicos pelo suposto desvio de finalidade da peça.

O estudo feito pela equipe econômica que deu subsídio à campanha institucional faz um duro balanço da gestão Dilma. O Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, teve acesso ao documento intitulado “Exemplos de Descontrole e Desperdício de recursos públicos no governo anterior”. O texto tece críticas sobre 16 políticas do governo Dilma e indica as medidas que o governo Temer tem adotado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.