Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Oposição vê caos e diz que governo acabou

Parlamentares avaliam que decisão da S&P é resultado dos erros sucessivos do governo na política econômica

O Estado de S. Paulo

10 Setembro 2015 | 00h27

BRASÍLIA - A notícia de rebaixamento da nota do Brasil serviu de bandeira para a oposição voltar a criticar o governo. O senador e presidente nacional do Democratas, José Agripino (RN), afirmou que a perda do grau de investimento do País é de responsabilidade do governo federal e terá como consequências o aumento da recessão e do desemprego. “A presidente Dilma não fez o dever de casa e perdeu credibilidade perante o investidor externo. Prometeu cortar ministérios, reduzir comissionados e gastos de custeio e não fez.”

Para o senador, perder o grau de investimento “significa o início do caos” e mostra que a presidente não teve ainda condições de articulação política no Congresso. “O poder executivo perdeu a capacidade de comandar a base e isso produziu o esfacelamento na Câmara e no Senado”, concluiu. 

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), afirmou que a decisão da Standard & Poor’s é fruto de erros sucessivos na política econômica nos últimos seis anos, agravados pelo desvio de recursos públicos e aparelhamento político das estatais. “Infelizmente, a perda do grau de investimento do Brasil e a perspectiva de revisão negativa nos próximos doze meses mostram que o governo da presidente Dilma acabou”, disse, em nota.

Para Aécio, o cenário é ainda mais grave porque há um governo no qual a presidente terceirizou a política econômica. Ele disse que o Executivo não tem base política com força para aprovar reformas estruturais e não tem sequer um plano de governo. 

O líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno (PR), disse que a decisão da S&P “é reflexo da incompetência do governo e, infelizmente, mais uma maldade da presidente contra os brasileiros”. “Dilma arruinou a economia e as finanças públicas do País. Está claro que, nesse ritmo, o Brasil não vai aguentar mais três anos com a presidente e sua incompetência. Não podemos deixar que o Brasil chegue ao fundo do poço”, disse, lembrando que a oposição lança hoje na Câmara o Movimento Pró-Impeachment de Dilma. 

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), lamentou a perda do grau de investimento e avaliou que “só a retomada do crescimento tira o Brasil dessa situação”. / GUSTAVO PORTO, RICARDO BRITO E BEATRIZ BULLA

Mais conteúdo sobre:
grau de investimento S&P

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.