Opportunity confirma ação da Polícia Federal

A assessoria de comunicação do Opportunity informou que a atuação dos agentes da Polícia Federal na sede da instituição no Rio de Janeiro iniciada nesta manhã está baseada num mandado de busca e apreensão expedido pela quinta vara federal de São Paulo, requerido pelo Ministério Público Federal.O Opportunity, contudo, não sabe qual o processo que teria motivado a ação da PF, batizada de operação Chacal - investigação sobre o caso de espionagem realizada pela multinacional Kroll, contratada pela BR Telecom, operadora administrada pelo Opportunity.O apartamento em Ipanema do banqueiro Daniel Dantas, sócio do Grupo Opportunity, também é alvo da operação de busca e apreensão que a Polícia Federal deflagrou hoje. Os agentes federais percorrem ainda os endereços de Thiago Verdial, o espião português que trabalhou para a Kroll, a sede da multinacional, na Torre do Sul, e um endereço na Tijuca, que ainda não se sabe a quem pertence.Caso KrollO caso Kroll, tornado público em julho deste ano, de início limitava-se a uma briga dos sócios da BR Telecom. A investigação foi contratada pela então presidente da operadora, Carla Cico, para conseguir informações sobre a Telecom Italia, empresa com a qual o Opportunity disputava o controle da BR Telecom.Mas, acabou resvalando para a espionagem de membros do governo Lula, como o ministro da Comunicação, Luiz Gushiken, e o presidente do Banco do Brasil, Cassio Casseb, que tiveram e-mails e ligações telefônicas monitorados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.