Orçamento 2002 prevê corte de 15% na Argentina

O presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, determinou o corte de 15% no orçamento de 2002. O orçamento prevê um déficit fiscal de US$ 2,7 bilhões. A informação é do chefe de Gabinete da Presidência, Jorge Capitanich, concedida hoje após a conclusão da reunião de gabinete na residência oficial de Olivos.Capitanich destacou que o déficit corresponde a menos de 1% do PIB, e anunciou que a União reduzirá 35% das secretarias e 50% de subsecretarias de Estado. O chefe de gabinete informou também que a União prevê a transferência de recursos às províncias baseada "efetivamente no que se arrecadar", inclusive as verbas relacionadas com a co-participação de impostos.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.