Orçamento de 2005 é cortado para atender parlamentares

O relator-geral do Orçamento da União de 2005, senador Romero Jucá (PMDB-RR), disse que, para atender emendas de parlamentares, cortará até 15% dos investimentos e 3% dos gastos de custeio programados pelo governo na proposta enviada ao Congresso. De acordo com Jucá, os recursos correspondentes a esses cortes serão destinados também a outras despesas, não previstas, como os ressarcimentos aos Estados exportadores pelas perdas com a isenção de ICMS (Lei Kandir). Esses cortes devem permitir um remanejamento de R$ 2,3 bilhões do Orçamento, segundo Jucá. Além disso, o relator informou ter incluído em seu relatório preliminar uma nova estimativa de receitas e de parâmetros do Orçamento que lhe garantirá um saldo de mais R$ 6 bilhões para o acolhimento de emendas de bancadas e de comissões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.