finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Orçamento de 2008 prevê salário mínimo de R$ 407,33

O projeto de Lei Orçamentária para 2008 prevê um reajuste de 7,19% para o salário mínimo, passando dos atuais R$ 380 para R$ 407,33. O orçamento do próximo ano ainda estima que as despesas com benefícios previdenciários e assistenciais - vinculados majoritariamente ao salário mínimo - somarão R$ 233,1 bilhões, o equivalente a 8,49% do Produto Interno Bruto (PIB). A peça orçamentária enviada ao Congresso trabalha com um déficit no regime geral de previdência social de R$ 41,6 bilhões - valor 7,55% inferior aos R$ 45 bilhões de déficit previstos para a previdência em 2007.O projeto estima que as despesas primárias (sem pagamento de juros) somarão R$ 631,6 bilhões. Desse total, as despesas discricionárias, aquelas que o governo pode alocar livremente, atingirão R$ 129,6 bilhões, o equivalente a 4,72% do PIB. De acordo com o documento divulgado hoje pelo Ministério do Desenvolvimento, as despesas discricionárias crescerão 14,8% em relação a 2007. Ainda dentro das despesas primárias, o governo projeta que as despesas com pessoal e encargos sociais somarão R$ 130 bilhões, o equivalente a 4,74% do PIB. O crescimento dessa rubrica frente 2007 é da ordem de 10,1%. O orçamento também prevê que as despesas financeiras atingirão no ano que vem R$ 721 bilhões, sendo R$ 152,2 bilhões de pagamentos de juros e encargos da dívida. No total, a despesa prevista no orçamento 2008 é de R$ 1,352 trilhão.

FABIO GRANER E ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

31 de agosto de 2007 | 12h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.