Orientações do Procon para as compras de Natal

A Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, alerta o consumidor para os cuidados das compras de Natal. A principal recomendação do órgão é para o consumidor fugir do consumo por impulso e fazer as compras com antecedência. O consumidor, segundo o Procon-SP, deve em primeiro lugar escolher os presentes que vai comprar e realizar um bom levantamento de preços e de juros, no caso de compras a prazo. Os técnicos do Procon-SP recomendam atenção para as promoções onde o preço a prazo é igual ao preço à vista. O consumidor deve exigir descontos e negociar preço e formas de pagamento. Nos pagamentos com cheques pré-datados, o Procon-SP aconselha o consumidor a fazer cheques nominais à loja, datando-os de acordo com o acertado no momento da venda. Além disso, o consumidor deve exigir que na nota fiscal conste os números do cheques e as datas de depósito. Com esses cuidados o consumidor está documentado em caso de depósitos antes do combinado. Cuidados com produtos O Procon-SP também alerta o consumidor com relação as características e normas de segurança dos produtos. A rotulagem de artigos de perfumaria, cosméticos ou mesmo alimentos em geral deve conter informações como: registro, prazo de validade, composição, volume ou quantidade e dados sobre o fabricante ou importador. Ao comprar alimentos, o consumidor tem que observar as condições gerais de armazenamento. Os técnicos do órgão recomendam consumir alimentos frescos de época, como frutas, bebidas naturais e carnes leves. Ao comprar peças de vestuário, o consumidor deve pesquisar junto à loja a possibilidade de troca em caso de problemas com cor, tamanho ou modelo, solicitando um comprovante que garanta a troca No caso de eletrodomésticos o consumidor deve pedir uma demonstração do funcionamento do produto na própria loja, testando recursos do aparelho e avaliando se o mesmo atende às necessidades do presenteado. Presentear com equipamentos de informática também merece atenção, segundo o Procon-SP. O consumidor deve informar-se com alguém de confiança, consultando também publicações especializadas em computação. O consumidor deve ficar atento já que muitas vezes a publicidade induz a adquirir equipamentos sofisticados e caros, com programas supérfluos aos que ainda não dominam o mundo da informática. Ao presentear as crianças, o Procon-SP aconselha o consumidor a escolher brinquedos que sigam todas as normas de segurança e qualidade do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). O produto deve ser adequado à idade e desenvolvimento da criança e possuir o selo de qualidade do Inmetro. O selo garante que o brinquedo está dentro das normas de segurança e qualidade, ouseja, não apresenta riscos a saúde da criança. O Procon-SP recomenda o consumidor a evitar produtos de camelôs, que podem ser mais baratos, mas podem trazer grandes perigos às crianças. Compras pela Internet A comodidade de comprar pela Internet sem sair de casa pode tornar o produto mais caro. Os técnicos do Procon-SP recomendam atenção redobrada nas compras feitas por computador, pois muitas vezes o usuário não sabe como preservar seus direitos ou não conhece o fornecedor. É importante checar valor das despesas com frete e taxas adicionais. O Procon-SP aconselha o consumidor se informar com amigos e parentes que já realizaram compras em determinados sites de comércio eletrônico. Na hora de pagar, o consumidor deve evitar o uso de cartões de crédito, vinculando pagamentos à entrega do produto ou serviço ou optar por boleto bancário. O Código de Defesa do Consumidor( CDC) estabelece que as compras realizadas fora do estabelecimento comercial podem ser canceladas em até sete dias. Um dos itens mais importantes para o consumidor internauta, é estar ciente de que como a rede é mundial, as páginas hospedadas fora do Brasil seguem as normas estabelecidas nos seus países de origem. Quem tiver problemas ao comprar produtos em sites internacionais terá que resolvê-los diretamente com a empresa, porque, nesse caso, legalmente ele é considerado o importador direto das mercadorias. Por issso, segundo o Procon-SP, o consumidor deve solicitar todos os dados que achar necessário para ter uma melhor idéia do que está comprando como: especificação, marca, cor e tamanho disponíveis. No momento do recebimento da mercadoria, é necessário verificar se tudo está de acordo com o que foi pedido. Se houver alguma irregularidade, o produto deve ser devolvido, especificando-se na nota de entrega o tipo de problema. O CDC estabelece prazo de 30 dias para reclamações sobre vícios aparentes ou de fácil constatação para produtos não duráveis e de 90 dias para itens duráveis, contados a partir da constatação do problema. Dúvidas ou reclamações podem ser encaminhadas ao Procon, por meio do atendimento telefônico 1512 e pessoal Poupatempo Itaquera (Metrô Corinthians-Itaquera), Poupatempo Sé (Praça do Carmo S/N) e Poupatempo Santo Amaro (Rua Amador Bueno, 176/258) ou no www.procon.sp.gov.br

Agencia Estado,

10 Dezembro 2001 | 11h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.