Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão
Imagem Luiz Carlos Trabuco Cappi
Colunista
Luiz Carlos Trabuco Cappi
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Os abraços estão de volta neste Natal, com a ciência ao nosso lado

Não foram poucas as dificuldades que enfrentamos para chegar até aqui com saúde e capacidades preservadas

Luiz Carlos Trabuco Cappi*, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2021 | 04h00

O sentimento de gratidão e de esperança é o que define o fim do ano. Em 2021, voltaremos a compartilhar dessa energia com as pessoas queridas e poderemos fazer com que o Natal e o ano novo sejam como devem ser. Vamos ressignificar a valorização da vida e da comunhão entre familiares e amigos neste momento em que, no Brasil, a vacinação apresenta seus benefícios no arrefecimento da pandemia.

Apesar das variantes que ainda se manifestam no mundo, mecanismos de controle e atenção têm sido acionados com eficiência, indicando que a fase mais dura ficou para trás. Governos e autoridades médicas demonstram vigilância e conhecimento dos protocolos de reação ao vírus – o principal deles, a rapidez.

A covid não foi eliminada, mas está sendo monitorada de forma cada vez mais coordenada entre os países. Com vacinação, prudência e conscientização, vamos vencê-la, tendo a ciência do nosso lado.

Depois de quase dois anos de restrições sociais, é possível voltar a celebrar as conquistas pessoais, refletir sobre os novos desafios e planejar o futuro ao lado de quem gostamos, em nosso lar.

E o principal: com direito a abraços e demonstrações de afeto – sem exageros.

O que nos fez tanta falta no ano passado foi esse convívio carinhoso, o calor humano com filhos, pais, avós e entes queridos. 

Importante refletir e fazer um balanço sobre esses tempos de sacrifício. O legado é uma sensação de que as mudanças serão permanentes. Recomendo respeitar os ciclos, nos adaptarmos rapidamente às novas tendências e ter compromisso com os nossos propósitos.

Outro desafio é a sobrevivência da espécie humana. É essencial dar um passo à frente e aplicar os princípios ESG, de respeito ao meio ambiente, compromisso com a sociedade e governança ética. São princípios que não podem ser subestimados, pois nos oferecem os parâmetros para seguirmos em frente. Essa cartilha de perpetuação da humanidade tem como pilar central o conceito de que cada um de nós tem seu papel a cumprir.

Não foram poucas as dificuldades que enfrentamos para chegar até aqui com saúde e capacidades preservadas. Superamos riscos, restrições e perdas. O fato é que conseguimos, e por isso cabe agradecer. Nós nos tornamos mais solidários e o valor da empatia foi consagrado como fator de harmonia e superação das dificuldades.

A todos, o meu sincero desejo de um Natal de muita alegria e esperança e um Ano Novo repleto de realizações. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.