Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Os dois lados das ofertas da Black Friday

Maria Cristina virou consumidora fiel; já para Sakamoto, o evento no Brasil 'é uma mentira'

Mariana Naviskas, especial para O Estado, O Estado de S. Paulo

22 de novembro de 2014 | 20h00

A Black Friday provoca reações de aprovação e desaprovação entre os consumidores. A professora de educação física Maria Cristina Jorge, de 59 anos, conseguiu fazer uma economia de cerca de R$ 3 mil na compra de um automóvel no evento do ano passado.

Ela planejava comprar um carro, mas não queria gastar muito. "Eu nem podia investir muito dinheiro nisso, só decidi trocar porque meu carro começou a dar alguns problemas, então comecei a olhar preços."

Segundo a professora, algumas semanas antes da Black Friday, a Renault começou a divulgar, na TV e em seu site oficial, que a data teria descontos especiais. Maria Cristina resolveu aguardar e, no dia, foi à concessionária só para dar uma olhada, mas acabou gostando muito de um carro. "Como me ofereceram um desconto de R$ 3 mil, decidi comprar."

O carro escolhido foi um Renault Sandero Tech Run cujo valor original era R$ 37.900, na época. Foi o primeiro carro zero de Maria Cristina. A compra bem-sucedida garantiu à Black Friday uma consumidora fiel. Neste ano, ela pretende comprar duas TVs de LED.

Já o comerciante do ramo de CDs Willian Sakamoto, de 42 anos, foi um dos que tiveram problemas com falta de estoque e atraso no frete no evento do ano passado. Na semana da Black Friday, seu computador quebrou e ele foi obrigado a procurar um novo. "Eu nem estava atrás de descontos, não queria comprar o computador para aproveitar a Black Friday, mas precisava de um novo para um trabalho urgente."

Ele começou a busca por um computador de mesa. "Procurei em lojas físicas de grandes redes, mas tudo estava cheio por causa das promoções da Black Friday." Finalmente, optou por comprar pela internet um modelo de R$ 1.400, em promoção.

Como estava com pressa, escolheu a opção de frete mais caro, que entregaria o computador em menos tempo. No entanto, recebeu o produto com atraso e descobriu no site da empresa que o preço do computador continuava o mesmo, independente de Black Friday. O frete estava com valor bem inferior em relação ao que ele tinha pago e o tempo de entrega era menor. "Que promoção é essa da Black Friday?"

Sakamoto não acredita na Black Friday brasileira. "Acho que no Brasil essa data é uma mentira. Lá fora funciona, pois eles renovam o estoque para as vendas de Natal."

Tudo o que sabemos sobre:
Black Fridayvarejovendas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.