Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Osasco lidera na Grande São Paulo

Barueri e Cotia são as cidades que vêm a seguir, desbancando Guarulhos e Diadema do pódio

Heraldo Vaz, Especial para O Estado

25 de junho de 2019 | 03h00

Na Região Metropolitana de São Paulo, Osasco é a cidade com o maior volume de lançamentos há dois anos seguidos, conforme os dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). Em 2018, foram lançados 2,6 mil apartamentos - mesmo número do ano anterior. O preço médio, porém, subiu 9% no período, saindo de R$ 5,7 mil por metro quadrado para R$ 6,2 mil.

Barueri foi vice-campeã em lançamentos, com 2 mil imóveis (R$ 6 mil/m²), seguida por Cotia, com 1,5 mil habitações, na média, de R$ 3,7 mil/m². As duas cidades superaram Guarulhos e Diadema que, em 2018, perderam seu lugar no pódio.

Em Osasco, fica a sede da Perfil Imóveis, premiada em 9º lugar na categoria Vendedoras do Top Imobiliário, com lançamento de 1,3 mil apartamentos, segundo a Embraesp, e valor de vendas de R$ 341 milhões.

Fundada há 30 anos, a imobiliária tem o foco em Osasco e Cotia, mas estende atuação para Vargem Grande, Embu das Artes, Sorocaba, Itu e Jundiaí. O diretor comercial, Marcus Gustavo Nalesso, diz que a meta para 2019 é participar de oito empreendimentos, com um total de 2 mil apartamentos. O carro chefe são habitações do programa Minha Casa Minha Vida.

Os imóveis econômicos respondem por 70% das vendas, com preços, em média, de R$ 215 mil. “MCMV é necessidade”, diz Nalesso, apontando a renda média dos compradores de R$ 5 mil a R$ 6 mil. A parcela (30%) restante vem do médio padrão, entre R$ 350 e 600 mil.

Na sua avaliação, o início do ano foi bem difícil. “Há pouco dinheiro no mercado e falta confiança”, afirma, ao contar o caso de um cliente que comprou imóvel de R$ 300 mil, mas no dia seguinte cancelou porque foi demitido. Ele destaca o sucesso de vendas de dois projetos da construtora Zats, em Osasco: Apogee e Absoluto. São 500 unidades, com um ou dois dormitórios. No Apogee, lançado em dezembro, 30% dos imóveis estão disponíveis. “O Absoluto já foi 100% vendido”, declara.

Oito torres

Com sede em Alphaville, a Conex Habitacional ficou em 9º lugar na categoria Construtoras, com o projeto Morada Nobre, lançado em outubro. Tem oito torres, 1,6 mil apartamentos e valor de venda de R$ 400 milhões, de acordo com os registros da Embraesp. 

São unidades de dois dormitórios, com 62 m², terraço e churrasqueira. O preço é R$ 250 mil para todos os imóveis (R$ 4 mil por m²). “Já vendemos 75%”, afirma Antonio Fernando Marcato, presidente da Conex, uma cooperativa habitacional criada em 2017. O campo de atuação se concentra em Barueri e Cotia, atingindo também Caieiras.

Composto de quatro fases, o Morada Nobre terá 408 unidades entregues anualmente a partir de 2021. A última etapa será concluída em 2024.

Marcato credita o índice de vendas à boa localização e ao conceito do projeto, que fica na estrada velha de Barueri, perto da Rodovia Castello Branco e do shopping Parque Barueri. O alvo são famílias com renda mensal a partir de R$ 5 mil. “Atraímos clientes de médio padrão”, diz, estimando, neste caso, a renda de R$ 7 mil ou 8 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.