Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

OSX obtém licença prévia para estaleiro no porto do Açu

Construção está a 150 km da Bacia de Campo, responsável por 75% da produção brasileira de petróleo

Agência Estado,

25 de fevereiro de 2011 | 11h43

A OSX, empresa de equipamentos e serviços para a indústria offshore de petróleo e gás natural, do grupo do empresário Eike Batista, anuncia que sua Unidade de Construção Naval do Açu (UCN Açu) recebeu aprovação de licença prévia pela Comissão Estadual de Controle Ambiental da Secretaria de Estado do Ambiente do Estado do Rio de Janeiro. Conforme comunicado da empresa, este "será o maior estaleiro das Américas", localizado no Superporto do Açu, em São João da Barra.

A UCN está a 150 km da Bacia de Campos, responsável por cerca de 75% da produção brasileira de petróleo, localização essa que "gera condições únicas de integração logística, eficiência operacional e sinergias industriais locais, reduzindo assim custos importantes com a possibilidade de utilização de chapas de aço de 18 m de comprimento (redução de até 56% em soldas para criação de painéis), e com o fornecimento de energia gerada no próprio Complexo Industrial (redução de até 30% nos custos de energia)", como detalha o comunicado.

Ainda de acordo com a OSX, o estaleiro vai gerar cerca de 10 mil empregos diretos durante sua fase de operação e 3,5 mil na fase de implantação. Na região do Açu o grupo criará uma unidade de conservação privada abrangendo cerca de 3.882 hectares.

A frente de cais é de 2,4 mil metros de extensão, com potencial de expansão de até 3,525 mil metros, sendo que nesta versão ampliada é possível integrar, por exemplo, até 11 plataformas do tipo FPSO.

Em paralelo, a LLX Logística, do mesmo grupo, e que está construindo o porto, informa que a licença para a UCN Açu "representa uma etapa decisiva para o Superporto do Açu, composto pelos terminais offshore TX1 e onshore TX2." Juntos, os terminais deverão movimentar 350 milhões de toneladas por ano, sendo 190 milhões de t no TX2, que teve sua licença prévia solicitada em outubro. "A aprovação da LP para a UCN Açu, incluindo o canal interno de navegação ("Canal"), nos dá a segurança de que as obras do TX2 poderão ser iniciadas ainda neste 1º semestre", diz em nota o diretor presidente da LLX, Otavio Lazcano.

 
Tudo o que sabemos sobre:
osxporto de açu

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.