finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

OSX também pode pedir recuperação judicial

Segundo fontes que acompanham o processo, a decisão ainda não está tomada, mas é considerada como a mais provável

RIO, O Estado de S.Paulo

31 de outubro de 2013 | 02h03

Nas próximas semanas, a OSX, empresa de construção naval do Grupo EBX, também pode recorrer a um pedido de recuperação judicial. Segundo fontes que acompanham o processo, a decisão ainda não está tomada, mas é considerada como a mais provável.

"De imediato não será feito o pedido (de recuperação), tudo vai depender do processo da OGX. Todas as hipóteses estão sendo ponderadas", diz um executivo que acompanha de perto a operação. A OSX enfrenta problemas com fornecedores e está sendo processada por pelo menos um deles, a Tramp Oil.

Extremamente ligada ao desempenho da OGX, a empresa de construção naval foi criada para atender encomendas da petroleira de Eike Batista. A debacle da OGX tem efeito dominó sobre a OSX, credora de pelo menos US$ 900 milhões - a companhia alega que o montante chegaria a US$ 2,6 bilhões.

No fim da noite de terça-feira, a OSX Brasil informou que sua subsidiária, OSX Leasing, rescindiu o contrato de afretamento da plataforma FPSO OSX-1 com a OGX, pela inadimplência da petroleira. O contrato de operação e manutenção da subsidiária OSX Serviços Operacionais também foi encerrado.

Segundo o fato relevante, a OSX-1 está conectada e disponível para operar no campo de Tubarão Azul, mas já iniciou as tratativas com a OGX para a desconexão. O comunicado destaca que "a OSX buscará exercer seus direitos legais na obtenção dos valores atrasados e verbas rescisórias previstas em contrato e na legislação aplicável".

Com a rescisão do contrato de afretamento, a OSX Leasing firmou com bancos internacionais acordo válido até 13 de dezembro para negociar um plano organizado para revenda ou renegociação da plataforma, em busca de ajustes no cronograma de vencimento desta dívida ao seu plano de negócios. Os bancos são integrantes do sindicato constituído para o financiamento dos custos de aquisição e customização da OSX-1.

Há duas semanas, a OSX conseguiu adiar o pagamento de um empréstimo ponte de R$ 518 milhões com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Está ainda em negociação com a Caixa Econômica para estender o prazo de pagamento de outro empréstimo, no valor de R$ 400 milhões./ IRANY TEREZA e MARIANA DURÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.