Otimismo da população americana já supera o de 1 ano atrás, diz pesquisa

O pior da crise econômica pode ainda não ter passado. Mas os americanos se sentem melhor do que um ano atrás e demonstram mais otimismo em relação ao futuro. O cenário menos sombrio foi divulgado em pesquisa do Instituto Gallup que mede o índice de bem-estar e a avaliação da vida de mil pessoas nos Estados Unidos.Em abril do ano passado, a avaliação da vida dos americanos estava em 43,4 pontos em uma escala que vai de zero (pior nível) a cem (melhor). Depois de uma queda acentuada a partir de agosto, o grau chegou ao seu piso em novembro, de 33,1. Mas nos últimos meses, aos poucos, a avaliação melhorou. No mês passado, atingiu 45,9 pontos. Esse número, além de superar o de um ano atrás, antes da piora da crise, representa um avanço de 22,1% sobre março, quando estava em 37,6. A melhora foi verificada em todas as idades, grupos étnicos e socioeconômicos. E pela primeira vez em um ano, há mais americanos que esperam, nos próximos cinco anos, uma melhora na sua situação do que os que aguardam piora.Segundo o Gallup, os resultados se diferem dos de outros levantamentos porque os entrevistados são questionados sobre a sua visão particular do futuro, e não de todo o país.Outro índice é o de bem-estar, medido em tempo real por 350 dias do ano. Em abril, o nível, que evolui desde fevereiro, ainda não alcançou o do ano passado, mas está a apenas 0.8 pontos de alcançar. Para Daniel Gilbert, professor de psicologia de Harvard, é normal que as pessoas aos poucos fiquem mais otimistas "porque, quando recebemos más notícias, nós choramos um pouco. Mas, depois, nos preocupamos" em fazer o melhor, escreveu em artigo ontem no New York Times.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.